.

“No Olho do Tornado” – Resenha de Cinema

No Olho do Tornado | Into the Storm

Olá pessoal!

Vim compartilhar com vocês a experiência de assistir “No Olho do Tornado” (Into the Storm) seguida de uma volta pra casa aterrorizante! Como sempre, quem ainda não viu não se preocupe, pode continuar lendo! Prometo não estragar a surpresa de ninguém!

Ficha Técnica:

Sinopse: Silverton é o palco de uma série de tornados devastadores que deixa todos da cidade a mercê do poder desse fenômeno natural tão poderoso, incluindo uma equipe de cientistas caçadores de tempestades liderada por Pete (Matt Walsh), que conta com a meteorologista Allison Stone (Sarah Wayne Callies); Gary (Richard Armitage), o diretor de uma escola que tem dois filhos adolescentes, Donnie Morris (Max Deacon) e Trey (Nathan Kress); a estudante Kaitlyn (Alycia Debnam-Carey), por quem Donnie é apaixonado; e uma dupla que faz de tudo para ficar famosa no YouTube.

Dirigido por: Steven Quale

Gênero: Ação, Thriller (89 min – 2D)

Classificação Indicativa: 12 anos
Lançamento: 28 de agosto de 2014  | 08 de agosto de 2014 

Broken Road Productions / New Line Cinema | distribuição: Warner Bros

Resenha | Opinião

Gente, esse filme realmente mexeu com meus nervos mais adormecidos! Se teve algum filme recente que elevou minha adrenalina a mil foi esse! Sério… Eu estava mega nervosa durante toda a história – e olha que não é muito fácil eu me sentir assim por questões cinematográficas!


Pra começar, achei muito intrigante o modo como eram apresentados os personagens da trama: quando alguém aparecia pela primeira vez surgia na telona o nome completo, função / profissão ou alguma curiosidade sobre o personagem. Como jornalista que sou, logo notei a semelhança disso aos jornais televisivos. Daí, ao longo do filme, fui percebendo qual era a ideia! Boa parte da história é contada por meio de câmeras que são utilizadas pelos personagens e isso deu, na minha humilde opinião, o maior efeito de imersão que poderia ter se pensado para a história desse filme! Isso porque você realmente se sente junto, durante momentos bem tensos, tensos de verdade! – tão tensos que eu mudei minha concepção do que seria “tenso” após ver esse filme… hehehe!


É como se você fosse aquela câmera! E durante as aparições dos tornados, juro que não parava de pensar que esse fenômeno existe, é real e definitivamente devastador. Acho que foi isso que me deixou tão nervosa no filme… Normalmente, quando assisto filmes de suspense ou terror por exemplo, eu repito comigo mesma “isso é só ficção”. Mas eu não podia fazer uso dessa tática nesse filme e acho que é por isso que ele – e alguns outros baseados em fatos reais ou em coisas que realmente podem acontecer – me deixou bem mais nervosa do que outros filmes.

É claro que muitos filmes de ficção também conseguem colocar essa adrenalina em mim! Tipo aqueles que são tão envolventes que você se sente como parte do filme, seja por sentir emoção, medo, alegria, ansiedade, nervosismo… Enfim! O fato é que realmente vale à pena ver “No Olho do Tornado”. Talvez eu tenha ido pro cinema sem pensar muito no que esperar e daí, BAM!, ele superou minhas expectativas, então causou uma sensação bem mais efetiva.

Depois fiquei sabendo que o diretor Steven Quale se inspirou em sua infância, ouvindo sirenes de alerta e se escondendo no porão por causa chegada de tornados na região em que morava, e em amigos que tiveram suas casas devastadas por esse fenômeno natural. Além disso, ele utilizou registros profissionais e amadores para recriar as cenas dos redemoinhos se transformando em grandes e poderosos tornados, que são retratados ao longo de todo o filme. Ou seja, bota realismo nisso, né? Sem contar que tem um efeito moral muito intrigante que nos faz pensar sobre nosso futuro e o que realmente vale a pena a gente desejar e tudo o mais.

Ah! Não poderia deixar de contar o drama pós cinema! Pensando bem, acho que esse drama também contribuiu para a adrenalina ficar lá em cima até eu chegar sã e salva com meu marido em casa! O fato é que na volta pra casa começou uma chuva super forte, daquelas que mal deixa você enxergar a estrada. Pois bem, pra piorar começou a relampejar. E não era um relâmpago só não! Eram vários! Cada hora num canto diferente do céu, mas praticamente em sequência. Sim, foi assustador ter passado por isso depois do filme, principalmente porque pegamos a estrada deserta e tivemos que ficar 40 km nela até chegar em casa! Até mesmo porque a coisa toda começou a parecer filme de terror: quando eu olhava pro meu marido, que estava dirigindo, sempre surgia aquela luminosidade na estrada que deixava a noite parecendo dia! Pode parecer exagero, mas aconselho olhar a previsão do tempo antes de ver esse filme no cinema! #QuemAvisaAmigoÉ

Vocês já assistiram ou estão ansiosos pra ver?! Curtiram? Também se sentiram sendo levados pelos tornados? Contem pra mim!
Até a próxima! *Hoot-hoot*

Categoria:Resenhas
Compartilhe com os amigos:
| por Luciene Sans (Corujinha Lulu) às 07:30 do dia 3 de setembro de 2014 |

Posts Relacionados

Comente Aqui

O seu endereço de email não será publicado | Campos obrigatórios estão marcados com *

Se você tem um blog, clique para compartilhar um post.

Para usar avatar (imagem/foto junto com seu comentário), cadastre seu email em Gravatar.com

Ou pelo Facebook:

comentários