.

“Cinderela” – Resenha de Cinema

"Cinderela" 2015 - Resenha de Cinema movie Cinderella Cenicienta Sindirella Popelka

Olá pessoal!

Assistimos Cinderela (Cinderella), versão 2015 da Disney, e vim aqui para compartilhar com vocês o que achei! Se ainda não assistiu, não se preocupe, prometo que não vou estragar a surpresa!

Ficha Técnica:

cinderela 2015 poster br brasil brasileiro brazil cinderella



Sinopse: Ella (Lily James) perdeu sua mãe (Hayley Atwell) quando criança e, após alguns anos, seu pai (Ben Chaplin) também veio a falecer. A partir de então sua madrasta (Cate Blanchett) e suas irmãs postiças (Sophie McShera e Holliday Grainger) fizeram a vida dela se tornar um inferno. Mas, com a ajuda de sua Fada Madrinha (Helena Bonham Carter), o destino de Ella pode mudar para sempre ao lado do belo Príncipe Kate (Richard Madden), que conheceu um dia na floresta.

Dirigido por: Kenneth Branagh

Gênero: Drama, Família, Fantasia (105 min – 2D)

Classificação Indicativa: Livre
Lançamento: 26 de março de 2015  | 13 de março de 2015 

 Walt Disney Studios | distribuição: Disney / Buena Vista

Resenha | Opinião

Ahhh… Cinderela! Ou Gata Borralheira ou simplesmente Ella, nome escolhido para representar a camponesa que fica órfã dos pais e acaba tendo que se sujeitar aos caprichos da Madame Tremaine, sua madrasta, e de Drisella e Anastasia, suas duas irmãs postiças. O que falar desse clássico que passou por essa versão remake em live-action?

Eu gostei muito do filme! Não houve grandes surpresas no enredo, até porque esse não era o propósito – diferente de “Malévola”, que tinha a intenção de contar o outro lado da história original – Mas, ao mesmo tempo, existem nuances e pequenas diferenças do desenho original da Disney. Acredito que o grande destaque tenha sido o trabalho que fizeram na personalidade da Madrasta Má. Digamos que ela tem uma participação ainda mais cruel do que no desenho clássico e eu senti que isso engrandeceu e até fortaleceu ainda mais a personagem como vilã!

Curiosidade: a história da “Gata Borralheira” tem diversas origens, pois várias civilizações a contavam de uma maneira. Franceses, chineses, italianos, alemães – os famosos irmãos Grimm… Enfim, algumas versões desse conto são bem distintas entre si. Algumas inclusive retiram a fada madrinha da história e fazem com que os animais concedam os desejos da protagonista. Outras consideram o espírito da própria mãe como uma espécie de guardiã que ajuda Cinderela a ir no baile. 

Apesar de todas as variações que essa lenda tem, Walt Disney fez com que a sua versão ficasse bem conhecida no nosso imaginário e achei muito legal por parte dos Estúdios Disney o fato de não ter modificado a trama a ponto de a tornar irreconhecível.

As pequenas mudanças no enredo não foram muito surpreendentes para mim, pois eu já havia lido uma versão da Cinderela que contava a trama da forma como foi apresentada nessa versão cinematográfica da Disney. O que realmente me entristeceu foi o fato de não ter ouvido a tão famosa música da Fada Madrinha quando ela estava fazendo suas mágicas! – “…Bibidi bobidi bu…”

Toda a magia, a graça e a beleza desse conto estão presentes no filme que comemora 65 anos do lançamento do desenho clássico de Walt Disney – verdade! O desenho original foi lançado em 1950! – Gostei dos efeitos e achei extremamente encantador o modo como a equipe trabalhou o mote principal “tenha coragem e seja gentil“.

Como na maioria das produções da Disney, muitas pessoas se identificam com os personagens. Cinderela tem medo que o Príncipe Kate saiba quem ela é de verdade e o Príncipe teme a mesma coisa. É como se ilustrasse o medo que a gente tem de ser julgado, criticado, de sermos aceitos como nós mesmos numa sociedade que pode ser muito perversa… Da mesma forma, traz à tona a vontade que nós temos de ser reconhecidos e destacados pelo o que fazemos… Dignos de sermos respeitados. Apesar de serem valores sutis, são transmitidos com maestria e sinceramente eu espero que possa tocar o coração de cada criança – e adulto também – que assistir o filme para que elas criem valores de coragem e gentileza! Talvez assim a onda de bullying diminua consideravelmente!

Eu tenho uma “teoria” sobre essa onda de filmes em live-action – ou seja, com atores e atrizes “de carne e osso” – que a Disney está lançando e eu gostaria de compartilhar com vocês… Mas vou deixar isso pra outro post!

Vocês já assistiram “Cinderela” nos cinemas? O que acharam? Também babaram no sapatinho de cristal dela? E o castelo? Gostaram? Eu super recomendo que vocês assistam! Vale a pena! Até mesmo porque antes do filme tem o curta Frozen: Febre Congelante que é uma graça!
Até a próxima! *Hoot-hoot*

Categoria:Resenhas
Compartilhe com os amigos:
| por Luciene Sans (Corujinha Lulu) às 06:15 do dia 27 de março de 2015 |

Posts Relacionados

Comente Aqui

O seu endereço de email não será publicado | Campos obrigatórios estão marcados com *

Se você tem um blog, clique para compartilhar um post.

Para usar avatar (imagem/foto junto com seu comentário), cadastre seu email em Gravatar.com

Ou pelo Facebook:

comentários