.

“Hotel Transilvânia 2″ – Resenha de Cinema

"Hotel Transilvânia 2" - Resenha de Cinema filme movie sony columbia pictures crítica análise reflexão drácula frank dracula frankstein mavis wayne murray griffin globy dennis johnny vlad

 

Oiê pessoal!
Eu e o maridão fomos à estreia do Hotel Transilvânia 2 (Hotel Transylvania 2) e eu vim aqui compartilhar com vocês o que achei do filme! Se você ainda não assistiu, pode ler sem medo! Não vou estragar a surpresa! Aqui não tem spoilers!

 

Ficha Técnica:

poster hotel transilvânia transylvania 2 br brasil brazil brasileiro filme movie sony pictures

Sinopse: A vampira Mavis (voz de Selena Gomez) e o humano Jonathan (voz de Andy Samberg), se casaram e continuaram morando no Hotel Transilvânia do Drácula (voz de Adam Sandler), pai de Mavis, que ofereceu um emprego ao genro Johnny. O vampiro, na verdade, quer que sua filha permaneça ao seu lado, principalmente após saber que será avô. Drácula torce para que seu neto seja um vampiro de verdade, já que sua filha se tornou uma mãe super protetora que pretende se mudar para um lugar mais humano por causa do pequeno Dennis (voz de Asher Blinkoff). Apesar da torcida de Drácula e seus amigos Frank, Wayne, Griffin, Globy e Murray, tudo indica que Dennis é um humano.

Dirigido por: Genndy Tartakovsky

Gênero: Animação, Comédia, Família (89 min – 2D e 3D)

Classificação Indicativa: 6 anos
Lançamento: 24 de setembro de 2015  | 25 de setembro de 2015 

 

Columbia Pictures | Sony Pictures

 

Resenha | Opinião

Esse filme é muito divertido, cheio de personagens queridos e temidos como Drácula, Lobisomem, Frankstein, Múmia, Homem invisível e… uma gelatina verde?! Hehehe! Já de cara esse longa escrito por Adam Sandler mostra um lado diferente dos personagens que já foram encarados como vilões em muitos filmes! – Nessa pegada de ver as coisas Por Outro Lado, não posso deixar de mencionar um texto que escrevi sobre o Drácula analisado-o de uma forma diferente e divertida!

Uma das reflexões que eu fiz – e confesso que ela vai tomar conta de toda essa resenha – é sobre as diferenças de crença e cultura, de minoria vs maioria e o bullying que é cometido, direta ou indiretamente, por conta de pessoas maldosas ou de pessoas sem informação e conhecimento sobre o que é diferente.

Dica: se você gosta do filme e dos personagens, voa ver o vídeo que fizemos mostrando nossa Coleção Completa do Hotel Transilvânia 2 que o Mc Donald’s lançou como brinde do Mc Lanche Feliz!

Acho muito legal o tema ser abordado de maneira criativa e com uma linguagem capaz de atingir todas as idades. São várias cenas que fazem você sentir compaixão por quem está sendo “zoado”, digamos assim. Faz você entender o lado daquele personagem e, ao mesmo tempo, querer dar um grande abraço pra consolar. Isso porque o filme mostra que é normal ser diferente e que a palavra “normal” é completamente relativae por isso deve ser usada com cautela para descrever pessoas.

O normal para um Vampiro, Conde Drácula, que vive num Hotel na Transilvânia é ter uma filha vampira que sabe voar e se transformar em morcego a hora que quiser, é adorar a noite e todos os monstros que são seus amigos, além de cantar canções de ninar nada convencionais para os humanos: “Sofra, sofra até gritar… Que seu sangue vai jorrar! Os zumbis te caçarão e se achar te esfolarão…”! É completamente normal para eles vivenciar coisas que para os outros são perigosas e assustadoras.

E, não tem nada de errado nisso! Essa é a cultura deles, o modo de vida que eles têm! Da mesma forma que os humanos podem achar isso estranho, os vampiros podem achar os costumes da humanidade sem graça e sem emoção alguma! Claro que isso é uma metáfora. Leia-se aqui “vampiros” e “humanos” como qualquer situação que cause estranheza.

Muitas vezes acabamos achando que ser como a maioria é o mais correto e o mais legal a se fazer, sendo que na verdade estamos nos privando de sermos felizes. Se você gosta de comer batata frita com sorvete e algumas pessoas te zoam por isso, não deixe comer só porque tem receio do que vão pensar! Você pode acabar descobrindo uma receita que fará todo o mundo se ajoelhar aos seus pés.

Em alguns casos de bullying, muitas vezes quem pratica é realmente maldoso e tem más intenções. Mas, em alguns casos, pode ser por completo desconhecimento / ignorância sobre determinado assunto ou hábito. Como quando você tenta enturmar seu amigo “diferente” trazendo pessoas “diferentes” para conhecê-lo… Por fim pode acabar cometendo várias gafes, como o próprio filme demonstra em algumas cenas.

Dennis, filho de uma vampira com um humano, corre o risco de não ter as habilidades dos vampiros e isso preocupa seu avô Drácula. Principalmente porque Mavis pensa em se mudar para um local que o filho se sinta “menos diferente” ou “mais normal“. Tanto a conclusão de Mavis como a ideia do Drácula são equivocadas pois nenhum deles pensa no que a criança realmente deseja. E esse é um tipo de erro comum que os adultos cometem com os pequenos – querendo ou não acabei me lembrando de uma das reflexões que fiz sobre o filme O Pequeno Príncipe!

Se o “normal” é humano não ter poderes sobrenaturais e vampiros não serem bondosos, por que o Dennis não poderia ser “diferente” e se tornar um humano com poderes ou um vampiro sem poderes? Ou um humano malvado ou um vampiro bondoso? Ele não estaria sendo “normal” ou “diferente” apenas estaria sendo ele mesmo, um filho de uma vampira com um humano; e esse é um dos motivos que me fez ter um apego com esse filme! Ele trata esse assunto do início ao fim!

Outro fator interessante que é retratado no filme é a união de duas pessoas num casamento. Na trama essa união acontece entre duas pessoas que não são tão parecidas assim, já que uma é filha de monstros e o outro de humanos. Mas, encarando isso como metáfora, podemos chegar à conclusão que o filme retrata a união de duas pessoas que vêm de famílias distintas e que vão iniciar uma nova família: ou seja, um casamento como qualquer outro! E, em alguns casos, essa união pode não ser tão bem recebida quanto se espera. Incompreensão por parte de uma ou de ambas famílias envolvidas costuma ser o motivo principal de algumas discórdias.

Ao abordar esse aspecto, o filme mostra como é mais saudável para a felicidade de todos quando os parentes não tentam prejudicar a relação do casal e quando há compreensão e respeito pelas diferenças e pelo amor que existe entre os dois. Afinal de contas, a felicidade dos filhos deve ser colocada em primeiro lugar. – não é “bisvamp” Vlad?

São pequenos grandes ensinamentos que acabam fazendo parte das várias reflexões que esse filme trabalha, de um jeito cômico e sutil, mas bem eficaz!

Eu curti bastante esse longa! Também gostei do site oficial do filme! Tem muitas coisas legais por lá! E vocês? Gostaram dessa animação? Qual o personagem que mais chamou a atenção de vocês? Contem pra mim nos comentários!
Até a próxima! *Hoot-hoot*

Categoria:Resenhas
Compartilhe com os amigos:
| por Luciene Sans (Corujinha Lulu) às 01:55 do dia 26 de setembro de 2015 |

Posts Relacionados

Comente Aqui

O seu endereço de email não será publicado | Campos obrigatórios estão marcados com *

Se você tem um blog, clique para compartilhar um post.

Para usar avatar (imagem/foto junto com seu comentário), cadastre seu email em Gravatar.com

Ou pelo Facebook:

comentários