.

Filme: Capitão América : Guerra Civil (2016) | Resenha de Cinema

filme crítica resenha opinião capitão américa guerra civil 3 civil war 2016 marvel studios os vingadores homem de ferro steve rogers tony stark corujinhalulu corujinha lulu

Oiê pessoal! Assistimos Capitão América : Guerra Civil (Captain America: Civil War) e vim aqui compartilhar com vocês o que achei do filme! Se você ainda não assistiu, pode ler a resenha sem medo! Não vou estragar a surpresa! Aqui não tem spoilers.

Curte Capitão América e Homem de Ferro? Vem ver o passo a passo de como fazer chaveiro de pelúcia desses dois personagens da Marvel!

Capitão América : Guerra Civil | Ficha Técnica

poster filme capitão américa captain america guerra civil war movie marvel studios disney br brazil brasil

Sinopse: Steve Rogers (Chris Evans) continua na liderança dos Vingadores que não medem esforços para proteger a humanidade. Mas depois de mais um incidente envolvendo os heróis, cresce a pressão política para instalar um órgão que supervisione a equipe. Com isso, Os Vingadores ficam divididos: um lado liderado pelo Capitão América e seu desejo de liberdade para defender a humanidade, sem a interferência do governo, e o outro liderado por Tony Stark / Homem de Ferro (Robert Downey Jr.), que apóia a supervisão do governo diante das grandes tragédias oriundas das ações dos Super Heróis.
Dirigido por: Anthony Russo, Joe Russo
Gênero: Ação, Aventura, Ficção Cientícia / Sci-Fi (147 min – 2D e 3D)
Classificação Indicativa: 12 anos
Lançamento: 28 de abril de 2016  | 06 de maio de 2016 

 
Marvel Studios | distribuição: Disney / Buena Vista

 

Resenha | Opinião

 

Um dos melhores filmes de super heróis que já assisti! Não apenas pelo fato de possuir a medida certa de ação, comédia e engajamento, mas também pelas reflexões que ele gera! Como é de costume em minhas resenhas, analisar o que está nas entrelinhas é algo que me motiva muito! Claro que poderia falar de todos os aspectos técnicos cinematográficos fantásticos desse filme da Marvel Studios, como trilha sonora, qualidade de atores, cenários, efeitos especiais e tudo mais… Mas, vou me ater a falar especificamente das várias reflexões que esse filme causou em mim.

 Antes de tudo, achei muito interessante a proposta de sugerir que o público escolhesse um lado: #TimeHomemDeFerro ou #TimeCapitãoAmérica. Tudo isso causou muita expectativa em torno de como seria a história entre dois super heróis favoritíssimosassim como aconteceu no filme Batman vs Superman! – Mas, após assistir ao longa metragem, atrevo-me a pensar que essa proposta vai muito mais além do que a superficial escolha de lados.

Digo isso porque entendo que a proposta seja causar uma reflexão sobre um dos principais problemas que afligem uma sociedade: a discussão de poder e a submissão a regras ditadas por pessoas “poderosas” não altruístas. Antes de prosseguir com essa ideia é necessário fazer uma observação, sem spoilers, de toda a trama. A história em si já mostra que existe um lado inocente de determinadas acusações que acontecem no filme e que as pessoas que estão desse lado são as “corretas”. Por isso digo que a proposta de escolher entre o Time do Homem de Ferro e o Time do Capitão América vai além do desenrolar desse roteiro.

E essa reflexão ganha força logo nas cenas iniciais do filme, quando o Capitão América faz uma afirmação relevante sobre os Líderes das Nações Unidas: “Líderes têm ideais e ideais mudam”. A partir dessa frase de efeito podemos dar asas a várias e prolongadas reflexões.

Cenas extras: existem duas cenas extras depois do final do filme. A primeira passa após os créditos principais do longa metragem. E a segunda passa após o encerramento de todos os créditos do filme.

Em uma sociedade somos liderados por políticos, que devem representar e zelar pelo seu povo. Contudo, sabemos que existem muitos fatores que envolvem as decisões de um político e, tomando como exemplo a política brasileira, infelizmente seus próprios interesses sobressaem à sociedade. É aí que a frase de Steve Rogers faz todo o sentido! É extremamente fácil para um político prometer mundos e fundos em período eleitoral e apontar erros alheios a fim de esconder os seus próprios erros. Só que, na massacrante maioria das vezes, essas promessas, ao longo do mandato, deixam de fazer parte dos ideias desses líderes políticos e quem paga o pato é a própria sociedade.

Existem inúmeros exemplos desse tipo que eu poderia elencar aqui para provar que a ficção do cinema está retratando a realidade nua e crua das nossas vidas. Pra começar podemos citar os número falsos e maquiados que os políticos usam pra iludir a população ou ainda a “jogação” de culpa como se a pessoa fosse “mais correta” porque roubou “apenas” 500 milhões enquanto a outra pessoa roubou 501 milhões… Enfim, na crença do Capitão América, os heróis conseguem ajudar mais tendo liberdade de ação.

Ah sim! A tão sonhada liberdade! A liberdade é um dos conceitos mais almejados e também um dos mais mal interpretados. Se todas as pessoas fossem bondosas, generosas e pensassem no bem de todas as pessoas, nosso mundo seria pleno! Todos estariam prosperando, felizes, com uma excelente saúde, vivendo plenamente suas vidas. Mas os seres humanos são muitas vezes egoístas, individualistas, desrespeitosos e, infelizmente, cruéis. Aí é que entra a necessidade de sermos regidos por leis que assegurem o direito de todos.

Só que essas leis não devem ser tão rigorosas a ponto de trancafiar em jaulas todas as pessoas, pensando que o melhor para elas é não se machucarem umas às outras. Por isso gosto de pensar que sou do “#TimeCapitãoDeFerro”, uma espécie de meio termo entre as ideias que se opõem. Nem tão ao céu, nem tão à terra. O ideal talvez seja todos terem liberdade até que a sua liberdade não atinja a liberdade do outro.

E como mostram as lições que tiveram os Heróis novos que se uniram aos antigos Vingadores, como a Pantera Negra e o Homem-Formiga, a vingança consome e deve ser evitada porque ter fé nas pessoas e procurar não decepcionar ninguém é um ótimo caminho para a felicidade.

Ao longo de Capitão América : Guerra Civil muitas frases de efeito são usadas para corroborarem com as várias formas de encarar a moral da história. Uma delas é da Peggy Carter, fundadora da Shield. Em relação a acreditar no seu ideal e persistir no que você acha certo, Peggy diz para que você se mantenha firme mesmo quando as condições não são favoráveis: “Quando alguém pedir que se mova, fique. E diga mova-se você”. Outra frase inspiradora é dita pelo Homem Aranha: “Quando você consegue fazer as coisas que consigo e você nada faz, a culpa é sua”. Essa frase faz referência a ter poderes que podem salvar vidas e decidir não ajudar ninguém.

Mas a frase que mais engradeceu a minha reflexão foi “O império derrubado por inimigos pode se reerguer. Mas o império que desmorona de dentro pra fora, não”. Essa frase realmente corrobora com a realidade que vivemos. Temos exemplos de países como o Japão, que foi devastado por bombas atômicas no passado e que hoje é uma grandiosa potência em vários aspectos. Mas temos exemplos como o Brasil, alvo de inúmeras tentativas de desunião, alienação, falta de criticidade e de conhecimento, tornando o povo mais fácil de ser manipulado às vontades dos líderes políticos, os mesmos que o Capitão América criticou, que incitou uma guerra civil. Esse tipo de “inimigo”, que vem de dentro, que sucumbe a união e o respeito, que faz perder valores, que corrompe caráter, virtudes e crenças de uma sociedade gera uma destruição sem precedentes.

Por isso gostei tanto de Capitão América : Guerra Civil, porque ele traz para a realidade vários aspectos importantes do momento que vivemos no nosso país hoje. A maior prova dessa alienação e da perda de caráter e virtudes é ouvir pessoas que conheço dizerem coisas do tipo “todo político rouba por isso arrumem outra desculpa para tirar um político do poder”, “vocês que são ‘anti-corrupção’ são hipócritas“, “não vão pra rua pedir impeachment por causa de corrupção, tenham outros motivos“… Acredito que todas as pessoas têm o direito e o dever de investigar o que é dito sobre cada político, de duvidar de acusações e querer ter certeza da existência de corrupção, mas AFIRMAR que acredita que houve corrupção e roubo e dizer que isso não é motivo para tirar do poder é, na minha opinião, inadmissível. Sabe por quê? Porque os líderes políticos do Brasil devem representar seu povo e, desculpe-me, mas se você acredita que seu líder político é corrupto e ladrão e se sente bem com isso, eu garanto que eu não me sinto representada por ele.

Capitão América : Guerra Civil é um filme extraordinário! Está super recomendado! No final das contas o filme procura nos encher de esperança na humanidade e no que há de bom nesse mundo sem perder toda emoção de um filme fantástico de super-heróis!

Vocês já assistiram Capitão América : Guerra Civil? Gostaram? Eu adorei ver tantos personagens juntos: Steve Rogers (Chris Evans), Tony Stark (Robert Downey Jr.), Viúva Negra (Scarlett Johansson), Feiticeira Escarlate (Elizabeth Olsen), Visão (Paul Bettany), Gavião Arqueiro (Jeremy Renner), Falcão (Anthony Mackie), Máquina de Combate (Don Cheadle), Soldado Invernal (Sebastian Stan), Homem Aranha (Tom Holland (II) ), Pantera Negra (Chadwick Boseman)… Ufa! Como sempre, tenho mais reflexões pra compartilhar com vocês sobre o filme… Que tal refletirmos juntos nos comentários?
Até a próxima! *Hoot-hoot*

Categoria:Resenhas
Compartilhe com os amigos:
| por Luciene Sans (Corujinha Lulu) às 08:00 do dia 28 de abril de 2016 |

Posts Relacionados

Comente Aqui

O seu endereço de email não será publicado | Campos obrigatórios estão marcados com *

Se você tem um blog, clique para compartilhar um post.

Para usar avatar (imagem/foto junto com seu comentário), cadastre seu email em Gravatar.com

Ou pelo Facebook:

comentários

5 comentários sobre “Filme: Capitão América : Guerra Civil (2016) | Resenha de Cinema