.

Filme: A Era do Gelo O Big Bang (2016) | Resenha de Cinema

resenha a era do gelo o big bang 5 filme crítica análise cinema fox film brasil blue sky studios corujinhalulu

Oiê pessoal! Assistimos A Era do Gelo O Big Bang (Ice Age Collision Course) e vim aqui compartilhar com vocês o que achei do filme! Se você ainda não assistiu, pode ler a resenha sem medo! Não vou estragar a surpresa! Aqui não tem spoilers.

Gosta de A Era do Gelo? Que tal conferir nossa coleção com os brindes que o Mc Donald’s lançou para o Mc Lanche Feliz e o balde de pipoca em formato de noz do Cinemark? Voa pro post!

 
A Era do Gelo O Big Bang | Ficha Técnica
 

poster nacional a era do gelo 5 o big bang br brasil brazil blue sky fox filmSinopse: Depois que o esquilo Scrat provoca um acidente espacial, durante sua perseguição pela noz,um enorme meteoro entra em rota de colisão com o planeta Terra, ameaçando o lar de Manny, Diego, Sid e companhia. A única saída é confiar em Buck, a doninha caolha do terceiro filme, já que é  o único que tem um plano para evitar o desastre. No meio de toda confusão, Mannie (dublado por Diogo Vilela) e Ellie têm que enfrentar a iminente saída de Amora de casa, ao passo que Diego (dublado por Márcio Garcia) e Shira pensam em aumentar a família e Sid (dublado por Tadeu Mello) finalmente encontra o amor.
Dirigido por: Galen T. Chu, Mike Thurmeier
Gênero: Animação, Aventura, Comédia (94 min – 2D e 3D)
Classificação Indicativa: Livre
Lançamento: 07 de julho de 2016  | 22 de julho de 2016  

Blue Sky Studios | Fox Film

 

Resenha | Opinião

 

Quem acompanha o blog já sabe que eu adoro fazer resenhas que vão além do óbvio e da simples análise de aspectos técnicos cinematográficos. Gosto de refletir e buscar o que não está tão “na cara”. Aquelas mensagens mais sutis que podem até passar despercebidas se não estivermos totalmente abertos a elas. E não seria diferente com A Era do Gelo O Big Bangtambém conhecido como A Era do Gelo 5!

Nesta quinta sequência dos personagens da era glacial (Sid, Manny e Diego, com suas respectivas damas, além do Scrat com a noz que teima em não se unir a ele), notei um fato bem interessante: o filme propõe um ótimo entretenimento para a família, com piadas que divertem adultos e crianças, mas com uma mensagem em especial que é muito mais direcionada aos pais do que aos pimpolhos.

Muitos filmes já abordaram esse tema das mais diversas formas… Alguns clássicos da Disney, como A Pequena Sereia, servem de exemplo, mas A Era do Gelo O Big Bang trabalha o tema de um modo bem moderno. Que tema é esse? A separação dos pais e dos filhos.

Essa “separação” é a coisa mais óbvia do mundo já que provavelmente os pais não teriam se casado e não teriam filhos caso isso não ocorresse. É a ordem natural das coisas, digamos assim. Os filhos nascem, crescem, se desenvolvem e repetem o mesmo que os pais fizeram: constituem uma nova família. Claro que isso não é exatamente uma regra obrigatória, já que existe exceção pra tudo nessa vida, mas convenhamos que é uma situação muito comum e super natural do ser humano.

Acontece que, mesmo sendo algo natural e algo que os próprios pais viveram enquanto filhos, muitos acabam perdendo a noção quando é a vez deles serem os “pais” em cena. O filme acaba tratando o tema de uma forma bem humorada e de certa forma sutil, mas bem eficiente quanto ao seu desenvolvimento.

Da mesma forma que alguns personagens enfrentam dificuldades para se relacionar com alguém e encontrar a “cara metade”, outros têm a sorte de se relacionarem com a pessoa ideal, mas os pais acabam embaçando a cena. Ciúme? Com toda certeza! E isso se aplica na vida real, inclusive. O motivo irracional mais latente para os pais implicarem com o romance dos filhos é o ciúme. O que quero dizer com motivo irracional? Simples: os sogros acabam enxergando coisas que não existem ou potencializando situações simples, características e comportamentos apenas para encontrar “motivo” que embase sua implicância sem fundamento em relação ao genro ou à nora.

Em alguns casos os pais, na condição de sogros, extrapolam… E sim! É feio, é doentio e é completamente desnecessário. Principalmente quando chega ao cúmulo dos pais tentarem boicotar e atrapalhar o relacionamento dos próprios filhos. A Era do Gelo O Big Bang aborda tudo isso de uma maneira leve, que penetra no subconsciente de quem está assistindo e causa sensações variadas. No princípio, as pessoas que se identificam com o perfil se sentem representadas de uma maneira sublime: sorriem, se entreolham e sentem dentro de si uma força gigantesca já que os personagens entendem o que eles sentem.

O que é mais fascinante é que ao longo da trama os personagens, na adversidade, aprendem o quão egoístas são as atitudes e os pensamentos deles e passam a valorizar a felicidade dos filhos no lugar de alimentar uma implicância e um ódio gratuitos que só acabam afastando os filhos, os genros, as noras e os futuros netos. E é nesse ponto que a mensagem chega ao destinatário: os pais que estavam se sentindo representados sentem uma vergonha alheia que quase parece pertencer ao íntimo deles.

Sinceramente saí com a minha cabeça a mil pensando “nossa! Todos os pais / sogros que passam por esse ciúme deveriam assistir esse filme”. Principalmente porque ele busca desmistificar que os filhos “trocam” ou “substituem” os pais por uma outra pessoa que “não limpou as fraldas dele(a)”. Essa sensação, que soa mais como uma cobrança absurda, pode ser superada se os pais / sogros derem uma chance para se aproximarem, sem julgamentos, da pessoa que os filhos escolheram. Afinal de contas essa “troca” é um fato irreal e a competição que isso gera é ridiculamente besta.

Ninguém ocupa o lugar dos pais. A não ser que os próprios pais se retirem desse lugar. Aí o lugar ficará vago, o que vai causar uma imensa tristeza nos próprios pais e nos filhos também. E quando os pais se comportam de maneira egoísta e sem demonstrar respeito e carinho pelos filhos e suas respectivas escolhas amorosas, eles só criam um abismo na relação. O que vale mais a pena: ficar de cara emburrada porque os filhos não cederam à sua chantagem de “se casar não, vai ganhar bala” ou ver a felicidade dos filhos?

Eu ainda não sou mãe, mas essa sensação de “ser trocado(a)” ou de se sentir desprezado(a) não é exclusividade dos pais que estão passando por um distanciamento físico dos filhos, seja porque vão morar fora ou porque querem se casar. E é por isso que posso dizer com total certeza que, se você passa por isso, não sabe o mal que está causando a si mesmo(a). A melhor forma de melhorar a situação é assumir que está passando por uma crise de ciúme para poder tratar isso da forma mais natural possível, analisando seus próprios pensamentos e atitudes. Da mesma forma que A Era do Gelo o Big Bang retrata em sua história.

Nem todas as pessoas passam por essa crise, mas a parte que passa acaba perdendo a chance de descobrir a pessoa maravilhosa que o(a) filho(a) encontrou e o quanto essa pessoa pode ser especial até mesmo para os pais/sogros. Quem só tem a perder é a pessoa que está agindo injustamente com pré julgamentos e egoísmos disfarçados de preocupação e zelo porque vai afastar ainda mais quem se quer manter por perto. E, como o próprio filme mostra, quando você se permitir conhecer e enxergar a beleza da fase que está por vir, você vai entender o quão bem educou seus filhos e como eles estão prontos para o que você passou a vida inteira se dedicando: formar e educar uma criança para ser um adulto do bem e independente nas escolhas que o fazem feliz.

Uma das coisas que me fez amar esse tema que A Era do Gelo O Big Bang retratou na história é o fato de eu ter pais maravilhosos. Apesar de ser a caçula e única filha, meus pais jamais agiram de modo inconveniente, indiferente, hostil ou desrespeitoso com o meu marido. Muito pelo contrário! Eles sempre trataram o maridão super bem, se importavam com as atividades que ele tinha, queriam se inteirar sobre tudo, mas não de um modo intrometido e sim com amor e carinho. A mentalidade nunca foi “temos que dividir a nossa filha”, a mentalidade foi e ainda é “vamos somar: temos um novo filho”! E o que posso dizer sobre isso? É a melhor atitude a se tomar nesses casos porque, graças a isso, meu marido tem um carinho imenso pelos meus pais e tem uma amizade linda com eles, que dá “inveja” até nos filhos! Hehehe! É isso que se ganha quando há respeito e carinho: mais um(a) filho(a) para a família!

Eu amei A Era do Gelo O Big Bang! Está mais que recomendando! Um excelente filme para a família toda que vai divertir, entreter e ensinar até mesmo os adultos.

Vocês já assistiram A Era do Gelo O Big Bang? Gostaram? Eu achei mega divertido com os novos vilões (Roger é dublado por Whindersson Nunes) e, ao mesmo tempo, surpreendente! Até o Sid se interessou pela Booke (dublada pela engraçadíssima Ingrid Guimarães)! Como sempre, tenho mais reflexões pra compartilhar com vocês sobre o filme… Que tal refletirmos juntos nos comentários? Ah! E se você quiser muita interação e jogos online, voa pro site oficial!
Até a próxima! *Hoot-hoot*

Categoria:Resenhas
Compartilhe com os amigos:
| por Luciene Sans (Corujinha Lulu) às 17:50 do dia 14 de julho de 2016 |

Posts Relacionados

Comente Aqui

O seu endereço de email não será publicado | Campos obrigatórios estão marcados com *

Se você tem um blog, clique para compartilhar um post.

Para usar avatar (imagem/foto junto com seu comentário), cadastre seu email em Gravatar.com

Ou pelo Facebook:

comentários

1 comentário sobre “Filme: A Era do Gelo O Big Bang (2016) | Resenha de Cinema