.

O outro lado do Drácula

Dracula, morcego, castelo, escuridão

Olá pessoal!

Aproveitando a onda do filme “Drácula – A História Nunca Contada” (Dracula Untold), eu vim falar sobre este personagem da Transilvânia que aterrorizou e aterroriza as histórias, principalmente no mês das bruxas, o famoso Halloween! Há um tempo eu já tinha pensado no Drácula por outro lado, sabe? Estava esperando uma oportunidade para falar sobre isso e achei que agora seria a hora perfeita!

Todo mundo considera ele um vilão de botar medo, com aqueles dentões prontos para sugar o sangue da próxima vítima! Mas você já pensou que ele pode ser um incompreendido indivíduo da Sociedade B? – se você não leu o post, dá um pulinho lá pra entender melhor o que estou falando! – Analisa comigo: ele adora a noite, prefere dormir durante o dia, a luz do sol o enfraquece… Isso é fácil de explicar levando em consideração as características das pessoas que não fazem parte da chamada Sociedade A. Tirando todo “pré-conceito” que já temos sobre ele, vamos imaginar que a história tenha dois lados – assim como o filme da Malévola (Maleficent)! – e vamos procurar hipóteses!

* O Drácula adora noite não porque ele é um vilão que está em busca de presas fáceis, mas sim porque ele se sente mais ativo e mais produtivo depois que o sol se põe!

* Por falar em sol, ele pode muito bem não se “enfraquecer” com os raios solares, mas sim se sentir com tremendo sono, já que passou a noite acordado atualizando o blog dele, por exemplo! É claro que ele vai se sentir “enfraquecido” e vai preferir tirar uma boa soneca enquanto o sol está do lado de fora… As pessoas é que inventaram que ele se deteriorava quando em contato com o sol porque achavam estranho demais essa preferência noturna dele!

* Ele não necessariamente se alimenta de sangue! Vai ver as pessoas criaram esse mito por perceberem que ele tinha hábitos muito diferentes da maioria e, como sabemos, todo mundo que é um pouco diferente da massa sempre acaba causando murmurinhos… O coitado do Drácula pode ter até sofrido bullying por adorar suco de uva, morango ou quem sabe um bom vinho! E aí, pronto! Todo mundo começou a espalhar que, de tão diferente que era, ele na verdade bebia sangue!

* Já o fato de dormir em caixão também pode ter sido consequência do preconceito das pessoas: de tanto atormentarem, o coitado passou a querer se esconder de tudo e de todos e passava um bom tempo escondido embaixo das cobertas – do jeitinho que o Sim fica quando está envergonhado no The Sims 4! – Daí todo mundo estranhou o fato dele não ter mais vida social e simplesmente fizeram analogia entre “morte social” e o suposto caixão que ele dormia!

* Ah! O Drácula não usa roupa escura porque é uma criatura das trevas! Já imaginaram que ele pode ter complexo com o corpo e preferir meio que passar despercebido? Ou, vai que ele tem a “síndrome da Mônica” e só compra roupa de uma única cor???

Brincadeiras a parte, acho legal quando exercitamos nossa mente para pensar “por outro lado”, em outras possibilidades e em diferentes hipóteses sobre algo que às vezes está tão concreto. Além de estimular nossa criatividade, espero que também faça com que a gente comece a pensar duas vezes antes de julgar algum comportamento de alguém, né? Afinal, às vezes não sabemos o que de fato leva a pessoa a agir ou fazer alguma coisa da maneira que está fazendo. Ou ainda podemos acabar causando um dano tão grande nessa pessoa que ela passa a ter vários problemas gravíssimos por causa de uma brincadeirinha ou de uma tiração de sarro!

Mas, o que me dizem? Acham que o Drácula se enquadraria bem na Sociedade B ou ele é realmente um vilão sanguinário?
Até a próxima! *Hoot-hoot*

Categoria:Reflexão
Compartilhe com os amigos:
| por Luciene Sans (Corujinha Lulu) às 07:00 do dia 31 de outubro de 2014 |

Posts Relacionados

Comente Aqui

O seu endereço de email não será publicado | Campos obrigatórios estão marcados com *

Se você tem um blog, clique para compartilhar um post.

Para usar avatar (imagem/foto junto com seu comentário), cadastre seu email em Gravatar.com

Ou pelo Facebook:

comentários