.

Filme “Goosebumps: Monstros e Arrepios” (2015) – Resenha de Cinema

goosebumps monstros e arrepios sony corujinhalulu filme movie columbia pictures resenha cinema critica analise reflexao monstros r l stine

 

Oie pessoal! Assistimos à pré-estreia de Goosebumps: Monstros e Arrepios (Goosebumps) e vim aqui contar para vocês o que achei do filme!  Se você ainda não assistiu, pode ler sem medo! Não vou estragar a surpresa! Aqui não tem spoilers!

 

Ficha Técnica

poster goosebumps mosntros e arrepios sony columbia pictures brasil brazil br
Poster nacional “Goosebumps: Monstros e Arrepios” (2015)
Sinopse: Chateado por ter se mudado de uma cidade grande para uma pequena, Zach Cooper (Dylan Minnette) encontra um pouco de esperança quando conhece a nova vizinha Hannah (Odeya Rush). Mas o pai de Hannah é o misterioso escritor R. L. Stine (Jack Black), autor da famosa série de livros “Goosebumps”. Há uma razão para Stine ser estranho: ele é prisioneiro de sua própria imaginação. Os monstros que tornaram seus livros tão famosos são reais e Stine os mantém presos dentro dos livros para segurança de todos. Quando Zach acidentalmente liberta os monstros, eles passam a assombrar a cidade. Agora cabe a Stine, Hannah, Zach e seu amigo Champ (Ryan Lee) a tarefa de trazer todos de volta aos livros que pertencem.
Dirigido por: Rob Letterman
Gênero: Aventura, Ação, Comédia (103 min – 2D e 3D)

Classificação Indicativa: 10 anos
Lançamento: 22 de outubro de 2015  | 16 de outubro de 2015 

Sony Animation Pictures | Columbia Pictures
 
 

Resenha | Opinião

 

Quem gosta de ver os personagens de livros se transformarem em filme com certeza vai se deliciar com esse longa metragem da Sony Pictures. Ainda mais quem é fã dos monstros que aparecem na série Goosebumps! Afinal, “as histórias estão vivas“!

Eu simplesmente adorei ver boa parte da imaginação do autor R L Stine virar grandes reproduções de animação cinematográfica: Homem das Neves, Louva-a-Deus gigante, Garoto Invisível, Lobisomem, Trolls malignos, Palhaço aterrorizante, carro assombrado, aliens que congelam, zumbis e o ventríloquo Slappy… – esse último realmente causa arrepios… Acho que são os olhos… E a boca… E todo o resto!

O fato é que o filme é intrigante, misterioso e bem envolvente do início ao fim! Tem muita ação, efeitos especiais, trilha sonora… Um montão de aspectos grandiosos e de excelente qualidade. Mas, como sempre, preciso relatar o motivo que me faz gostar tanto de escrever resenhas: a alma do filme; a magia dos significados; a moral da história; a observação de fatos não tão visíveis ao primeiro olhar; a análise crítica Por Outro Lado… Enfim! Gosto das “reflexões” que os filmes proporcionam – que, para mim, são essenciais!

Posso garantir que toda a trama desse longa me fez refletir muito, de diferentes formas, a respeito de bullying, medos, receios, limitações… Tudo o que pode cercar nossa vida de problemas, até ao ponto de nos isolarmos por isso.

Sem spoilers, apenas relatando a própria sinopse, o autor R L Stinemuito bem interpretado por Jack Black, diga-se de passagem – tranca os monstros que criou nas páginas de seus livros para que eles não causem dano a ninguém. Quando os monstros se libertam, eles trazem o caos à cidade e tentam tomar conta de toda a situação. Podemos dizer que essa condição estabelecida pode ser comparada facilmente como uma metáfora

A metáfora aqui poderia tomar vários rumos, mas gosto de comparar os monstros com nossos medos, receios, angústias. Digamos que eu tenha sofrido bullying ou passado por alguma situação muito constrangedora em dado momento da minha vida. Daquele ponto em diante eu tenho algumas opções para seguir. Posso, por exemplo, fingir que nada está acontecendo e ignorar a situação por completo; posso ter vontade de mostrar pra mim mesma e para todos o meu real valor, passando a dar o máximo de mim para reverter o problema; ou posso deixar que tudo me atinja, me sentindo como vítima, frágil, sem rumo, suscetível à desgraça e à solidão e acabar me afastando de tudo e de todos…

Existem diversas possibilidades, umas nem tão radicais quanto outras, mas vamos analisar essa última hipótese mencionada. Se eu me deixo abalar, me escondo, tento passar despercebida para que mais ninguém me importune ou coisa parecida, eu estou, na verdade, criando monstros. Esses medos, receios e angústias são os monstros dos quais tenho pavor. No início eu os trato como amigos, como porto seguro… Afinal, é graças aos medos que eu me defendo e não permito que mais nenhuma coisa ruim se aproxime de mim. Mas, com o tempo, eu posso acabar perdendo o controle da situação e todos esses medos podem passar a me controlar ou a tentar me controlar!

Nesse momento eu tenho duas alternativas: ou eu me rendo e sucumbo aos meus monstros ou tento enfrentá-los. Só que existem várias formas de interpretar essas duas alternativas. Eu posso decidir por enfrentar meus próprios medos / monstros, mas posso fazer isso de um modo mais fácil: escondo-os por um tempo, mas os deixo por perto caso sejam necessários novamente. 

Se eu optar por fazer isso eu nunca serei livre desses monstros, apenas fugirei deles, não os enfrentarei e tentarei me convencer de que tudo está sob meu controle. Mas, uma hora ou outra, esses monstros podem se libertar e os medos podem voltar com tudo para me assombrar. E aí se segue a história do modo como R L Stine gosta de contar: com muitos sustos, monstros, arrepios e… o amadurecimento do herói!

Pois é exatamente quando amadurecemos e criamos forças para de fato enfrentar os monstros / medos que nos perseguem é que podemos fazer uma história boa, com o início, o meio e… a reviravolta!

E é isso que o filme mostra, de um modo sutil e bem trabalhado. De um jeito muito engraçado, recheado de ação e com muitas surpresas! O filme mostra que devemos lutar contra os nossos medos, mesmo que isso signifique perder algo porque, futuramente, poderemos recuperar a vida que nunca nos demos chance de viver.

Ao longo da trama, Goosebumps: Monstros e Arrepios ainda oferece outros pensamentos para refletirmos, como sobre aquela velha premissa da história O Pastor e O Lobo, que mostra como as verdades se tornam mentiras na boca de um mentiroso – conhecem? Aquela história do Pastor que fingia que o Lobo estava devorando seu rebanho só para zombar dos amigos. Só que um dia era verdade e ninguém acreditou…

Gosto quando uma história me possibilita refletir e associar pequenas coisas a grandes enredos dentro da minha cabeça. Eu gostei muito do filme e recomendo a todos!

E vocês? Já assistiram Goosebumps: Monstros e Arrepios e conferiram o site oficial dele? O que acharam do filme? Gostariam de ver uma sequência? Contem pra mim nos comentários! Ah! Quero fazer uma proposta para vocês: assim que assistirem o filme, voltem aqui para dar a opinião de vocês quanto ao final da história! Estou louca pra saber o que cada um achou! Tenho algumas teorias pra compartilhar se vocês quiserem. Assim a gente pode debater mais sobre o filme e viajar no mundo de possibilidades imaginativas para explicarmos o fim da trama.
Até a próxima! *Hoot-hoot*

Categoria:Resenhas
Compartilhe com os amigos:
| por Luciene Sans (Corujinha Lulu) às 05:40 do dia 18 de outubro de 2015 |

Posts Relacionados

Comente Aqui

O seu endereço de email não será publicado | Campos obrigatórios estão marcados com *

Se você tem um blog, clique para compartilhar um post.

Para usar avatar (imagem/foto junto com seu comentário), cadastre seu email em Gravatar.com

Ou pelo Facebook:

comentários

4 comentários sobre “Filme “Goosebumps: Monstros e Arrepios” (2015) – Resenha de Cinema

  • 22 de outubro de 2015 em 21:44
    Permalink

    Ola, meu nome é matheus, voce acha que havera uma continuação devido ao estilo do termino?

    Responder
    • 23 de outubro de 2015 em 05:21
      Permalink

      Oie Matheus!!! Olha, eu realmente acho que vai ter uma continuação sim!!! Pelo menos estou torcendo muito pra que isso aconteça! =) Na verdade eu fiquei meio intrigada de como aconteceu essa loucura no final… Mas acho que tem a ver com o livro que o escritor Stine queima momentos antes do fim mesmo. E, como ficou tudo misterioso, eu acho que foi proposital, sabe? Pra que seja esclarecido numa sequência do filme! =)
      Só que, ao mesmo tempo, tem um detalhe relevante… Praticamente todos os monstros foram usados nesse primeiro filme… Então, pode ser que acabe não rolando de fato uma continuação… E, sinceramente, acharia muito frustrante se não rolasse! Porque não gosto quando o filme cria expectativa de uma sequência e depois deixa a gente na mão! hehehe! Mas isso só acontece quando gosto muito do filme e foi o caso com “Goosebumps”! =)
      E você? Acha que que haverá uma continuação?
      Muito obrigada pelo seu comentário e por participar aqui do blog! Beijos!!
      Luciene Sans (Corujinha Lulu) postou recentemente: Diy de decoração fácil e barata para Halloween: Baleiro de Frankstein, Quadro de Morcego e Abóbora de papelMy Profile

      Responder
  • 21 de março de 2016 em 20:22
    Permalink

    OI Meu nome é Jônatas!!!Muito bem recomendado para outras pessoas a lerem e e aprofundarem mais nesses filmes de ficção de terror. Muito obrigado por me entenderem minha compreensão. Bjus

    Responder